[Apresentaçao] Guerra e Paz Editores


Fundada a 10 de Abril de 2006, a Guerra & Paz iniciou a sua actividade com a publicação de quatro livros fundamentais: Fama e Segredo na História de Portugal, de Agustina Bessa-Luís; Correspondência Sophia de Mello Breyner e Jorge de Sena (1959-1978), Impressão Indelével, de Camilo Castelo Branco e Singularidades de uma Rapariga Loira, de Eça de Queiroz. 

Após seis anos de existência durante os quais foi fiel ao conceito de inventar os seus próprios livros  - associando de forma inesperada escritores e temas; confrontando autores diferentes, até antagónicos, no mesmo livro; criando livros que vivam da interacção, não necessariamente linear, entre a palavra e a imagem; gerando participações colectivas à volta de uma ideia (tema, imagem, mote) organizadora do livro – , a Guerra & Paz reafirma a sua presença diferenciadora e de qualidade no mercado editorial, mantendo a independência e o espírito aberto.  
E porque queremos o melhor para os nossos leitores, alargámos a nossa produção editorial. Desde 2010, passámos a editar seis livros por mês, entre ficção e não ficção, portuguesa e estrangeira, recriámos a «Colecção 3 Sinais» e inventámos a «Colecção Saber & Educação».
Consciente do seu papel junto dos leitores, a Guerra & Paz olha para o futuro com confiança e a certeza de que vai fazer cada vez melhor.

Algumas obras da Guerra & Paz

Autor: ANA SIMÃO
Género: Não Ficção
Ano de Edição: 2014
Formato: 15x23
Nº de Páginas: 192 + 8 (extratexto)
Peso: 325

Sinopse
Inês tem uma doença muitorara, Osteogénese Imperfeita (OI) – mais vulgarmente conhecida como doença dosossos de vidro – e aos 14 anos o seu pequeno corpo já tinha sofrido mais de 100fracturas.
A menina cuja história de luta e coragem vamos acompanhar não se deixou vencer pelomedo: nem quando quis dar os primeiros passos e não conseguiu, nem quando todasas crianças corriam e brincavam e ela estava numa cama de hospital, embalando nosseus sonhos Mefibosete, o menino imaginado pelo seu pai.
Da perda da inocência nasmãos de um curandeiro, passando pela enorme luta da família para não a perder,até à licenciatura conquistada a pulso, a vida da Meninados Ossos de Cristal transforma-se,diante dos nossos olhos, no triunfo da mulher que, contra todas as expectativas,consegue vencer. Como todos aqui aprenderemos, há apenas uma frase rara quenós, como Inês, nunca devemos esquecer: amor é poder.

Autor: SANTOS, António Costa
Género: Ficção
Ano de Edição: 2011
Formato: 15x23cm
Nº de Páginas: 216
Peso: 331

Sinopse
O casamento de João e Beatriz acabou. João vai viver sem ninguém pela primeira vez na vida. 
O que se passa no quotidiano de um homem que nunca tinha jantado sozinho, pendurado roupa a secar, nem sequer sabe decidir que t-shirt vestir? Será preciso ser ministro das finanças para gerir a pensão de alimentos, as contas da casa, a prestação do carro? E os filhos? Quando uma pessoa se divorcia, separa-se sem remédio dos filhos? É verdade que há mais mulheres, mas depois de se habituar a uma, será que um homem se consegue habituar a outra? Talvez João esteja «condenado» a voltar para o casamento, se Beatriz o aceitar… Diário de um Gajo Divorciado (em tempos de crise) conta o que vai na cabeça e na vida de um homem que não sabe viver sozinho.

Autor: ALMEIDA, João Vasco| BAPTISTA, Rui
Género: Não Ficção / História / Humor
Ano de Edição: 2008
Formato: 16,5x24 cm
Nº de Páginas: 192
Peso: 422g

Sinopse
SABIA QUE D. AFONSO HENRIQUES NÃO BATEU NA MÃE MAS SIM NO AMANTE DELA? ALGUMA VEZ IMAGINOU QUE O PAPA JOÃO XXI, QUE ERA PORTUGUÊS, SE ENGANOU NO NÚMERO QUE ESCOLHEU PARA COLOCAR À FRENTE DO SEU NOME? OU QUE, AINDA, FOI UM REI O MAIOR CRIADOR DE RATOS DA EUROPA? 

Neste livro, e pela primeira vez, a História de Portugal é passada a pente fino, à procura das grandes mentiras, dos idiotas que governaram o País e das trapalhadas que estão na génese daquilo que hoje conhecemos como o «bravo povo lusitano».
Fruto da pesquisa nas mais conceituadas fontes históricas, 12 Erros Que Mudaram Portugal analisa cada um dos episódios de forma simples mas eficaz, mostrando o que de errado se passou em 800 anos de Portugal.

Com este livro, o leitor compreenderá finalmente o «gene tuga», a tendência para o desenrasque, as raízes do colesterol e do cancro do tabaco – que também foi culpa nossa – e como nunca os governantes, desde o princípio, tiveram um plano que se aproveitasse. A não ser aquela questão das caravelas. Mas, mesmo aí houve asneira...

Autor: ANDRÉ BRUN
Género: Não Ficção/História
Ano de Edição: 2014
Formato: 15x23x1,8
Nº de Páginas: 232
Peso: 385
Sinopse
A Malta das Trincheiras é uma humaníssima abordagem do comportamento humano, feita com raros humor, sensibilidade e respeito pela dor e pela dignidade do ser humano. Poucas narrativas de guerra, nos países que viveram o trágico conflito, têm estas características. Isso deve-se ao facto de André Brun, português de origem francesa e obrigado a combater em território francês, ser um talentoso cronista do quotidiano pequeno-burguês.
Se é certo que fala do medo, do sofrimento e da morte, também é certo que procurou nas contradições da natureza e da condição humanas aquilo que um humorista sempre procura quando admite que o riso seja temperado com o sal das lágrimas. Este é um homem que viveu no inferno das trincheiras («trinchas», na gíria dos combatentes), que viu matar e morrer, que chegou escritor e regressou herói e que nunca se esqueceu de que, mesmo no vórtice do desespero e da privação de quase tudo, existe sempre lugar para a esperança que cabe na centelha de sol de um sorriso.

PREFÁCIO José Jorge Letria · POSFÁCIO Teresa Carvalho
Ver mais aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★


✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑