[Opinião] O Oceano no Fim do Caminho | Neil Gaiman


Sinopse
Este livro é tanto um conto fantástico como um livro sobre a memória e o modo como ela nos afeta ao longo do tempo. A história é narrada por um adulto que, por ocasião de um funeral, regressa ao local onde vivera na infância, numa zona rural de Inglaterra, e revive o tempo em que era um rapazinho de sete anos. As imagens que guardara dentro de si transfiguram-se na recordação de algo que teria acontecido naquele cenário, misturando imagens felizes com os seus medos mais profundos, quando um mineiro sul-africano rouba o Mini do pai do narrador e se suicida no banco de trás. Esta belíssima e inquietante fábula revela a singular capacidade de Neil Gaiman para recriar uma mitologia moderna.
Este livro foi a minha estreia com este autor, este ano.
Neil Gaiman foi-me recomendado pela Marina do Leituras ao Sol, que era tipo o Tim Burton da literatura e tive logo de ir buscar uns quantos livros dele.
No entanto, apesar de a escrita ser de qualidade, adoro a forma como ele expõe os sentimentos, a fluidez da escrita, dos acontecimentos, não foi uma história em si que me agradasse...

Aprecio certos tipos de literatura "fantástica", mas não gosto de demasiada fantasia, nem de coisas fantasiosas e sem sentido. Se na história aparecem criaturas mais credíveis, ou místicas até seria uma história ao meu gosto. Não considero esta uma história de humor negro nem mórbida, como estava à espera. Até a considero algo infantil. Também é suposto, visto se passar pelo ponto de vista de um puto de sete anos, no entanto bastante inteligente e emotivo.
Adorei a forma como o autor mostra e transmite a sua paixão pelos livros, identifiquei-me totalmente!

Gostei da essência, gostei da mensagem , retirei umas quantas citações bastante inteligentes e sinceras, mas no que diz respeito à parte fantasiosa, não apreciei.
No entanto foi o único livro desde que este ano começou que consegui terminar de ler, pois já perdi a conta aos que comecei e larguei... Estou numa crise literária manhosa qualquer...

Resumindo, foi algo interessante, a escrita do autor cativou-me por isso vou ler outros livros dele, e para os fãs de fantasia daquela mesmo fantasiosa, com criaturas estranhas, mistérios universais da nossa existência, todas essas coisas trazidas para a nossa realidade vão gostar deste livro. E quem já está habituado a este autor provavelmente também vai gostar.

"Os livros eram mais seguros do que as pessoas." Pág. 21

"Não fui uma criança feliz, embora de vez em quando me sentisse satisfeito. Vivia mais nos livros do que em qualquer outro lugar." Pág. 25

"Pensei se aquilo seria verdade: se os adultos seriam realmente crianças envoltas em corpos de adultos, como livros infantis escondidos no meio dos livros grossos e chatos de adultos, daqueles que não têm ilustrações nem diálogos." Pág. 119

"Não conseguia levar-te até ao oceano - explicou ela - Mas não havia nada que me impedisse de te trazer o oceano a ti." Pág. 146

"Nunca nada fica na mesma - respondeu - Seja um segundo depois ou cem anos mais tarde. As coisas estão sempre a dar voltas e reviravoltas. E as pessoas mudam tanto quanto os oceanos." Pág. 167

"Não têm importância que não me lembre dos pormenores: Aconteceu-lhe a morte. A morte acontece-nos a todos." Pág. 174

"Por vezes as palavras salvam-nos a vida" Pág. 182
Excerto do livro aqui.

6 comentários:

  1. Viva,

    Gosto do escritor mas estou contigo não gosto de livros com demasiada fantasia, embora seja um dos meus generos favoritos.

    Do que li posso dizer que Gaiman é bom mas não conheço muito bem a sua obra :)

    Bjs e boas leituras

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu vou arriscar noutros livros dele a ver como me saio. Precisava mesmo de um escritor com vários livros assim virados para o humor negro e mórbidos, tipo "A loja dos suicídios" e Tim Burton...

      Eliminar
    2. Força nisso penso que vis gostar de ler mais do escritor, tenho "Bons Augurios" dele por ler, a ver se lhe pego este ano :)

      Eliminar
    3. Estou muito curiosa com esse e com A Estranha Vida de Nobody Owens, parecem ser mais do meu género.

      Eliminar
  2. Já li vários livros do autor. Geralmente gosto dos argumentos e das ideias, apesar de às vezes achar que no final não são totalmente conseguidas. Mas é um autor muito criativo. Este título não é dos meus preferidos. Gostei do Deuses Americanos e adorei a ideia do Neverwhere - Na Terra do Nada (apesar de não ter gostado muito do final nem da 'solução' dada a algumas questões; acho que a ideia poderia ter tido uma concretização muito melhor). Gostei do A Estranha Vida de Nobody Owens; não gostei muito do Filhos do Anansi.. Enfim, é um autor que sigo, que considero muito criativo mas não gosto de todos os seus livros.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O nosso sentimento pelo autor é recíproco kassei.... Tenho muita curiosidade em ler "A Estranha Vida de Nobody Owens", mas ainda não seu deu a oportunidade, está em lista de espera, ... Tentei ler "Neverwhere", mas fiquei-me pelas primeiras páginas, pois não me estava a cativar, apesar de o autor ter uma escrita fácil e apelativa, estava a ser algo incoerente e não altura eu não tinha paciência para aquilo, mas hei-de dar-lhe uma nova oportunidade :)

      A minha biblioteca municipal tem o "Deuses Americanos", e hei-de requisitar e ler um dia, pois já ouvi falar muito bem desse livro dele (tanto que até fizeram uma série inspirada no livro, com o mesmo nome!). Os "Filhos de Anansi" nunca tive a oportunidade, outro em lista de espera :)

      As histórias em si do que já li não me cativaram por ai além, mas é uma escrita tão fácil, e há partes com frases tão bonitas e sentidas, que sem dúvida que vou continuar a seguir este autor, mas sem dúvida que terei de estar "virada" para este tipo de leituras quando o fizer =P

      Eliminar

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★


✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑