[Opinião] Dezanove Minutos | Jodi Picoult

Mais uma vez, Picoult aborda um assunto delicado na sociedade contemporânea, um tiroteio no liceu, levantando perguntas como: o seu filho pode tornar-se num mistério para si? O que significa ser diferente na nossa sociedade? É justificável para uma vítima ripostar? E quem - se é que alguém - tem o direito de julgar outra pessoa?
Em Sterling, New Hampshire, Peter Houghton, um estudante de liceu com dezassete anos, suportou anos de abuso verbal e físico por parte dos colegas. O seu amigo, Josie Cormier, sucumbiu à pressão dos colegas e agora dá-se com os grupos mais populares que muitas vezes instigam o assédio. Um incidente de perseguição é a gota de água para Peter, que o leva a cometer um acto de violência que mudará para sempre a vida dos residentes de Sterling.

Este foi um o segundo livro que li da autora.
Envolventes é uma das melhores palavras que descrevem os seus livros. Envolvi-me de tal forma nesta história que cheguei a ver (e até tive pesadelos com isso) um documentário de uma situação que se passou há uns anos atrás e quase toda a gente ouviu falar no tiroteio/massacre de Columbine.

Arrepiante foi que vi o documentário a meio da leitura, e depois de ver o documentário e de continuar a ler o livro, ainda mais realista e arrepiante a leitura se tornou....

Eu sou mais um número nas enormes, mórbidas e infelizes estatísticas de quem sofreu de bullying na escola. E não apenas numa escola, mas em duas e de tipos diferentes de bullying. Já na minha vida adulta o sofri e vi e tentei combater quem o praticava. Mas são sempre mais os torturadores que os defensores....

Nos livros dela há com cada reviravolta, que se a determinado ponto estamos convencidos de que vai acabar de uma maneira, a determinado ponto já não temos a certeza de nada... Descobri que adoro histórias passadas em tribunal, os debates da defesa e da acusação, tanto que depois ainda fui ver uns quantos filmes assim do género.

A forma como sentimos e vivemos a vida e os pensamentos das personagens, especialmente de Peter é incrível... As histórias dela são muito polémicas na minha opinião, porque sinceramente eu não sei de que lado ficar em determinada parte do livro! Ninguém neste mundo tem o direito de tirar a vida a ninguém, mas há casos em que é muito complicado seguir essa verdade... Fizeram-me coisas que eu desejei mesmo a morte dessa ou dessas pessoas. Nunca me imaginei sequer a matar alguém, mas há situações em que um mata outro e o que podemos dizer sobre os seus motivos? Um pai que mata o violador da filha? O assassino do filho?... Neste caso, o bullying chegou a um ponto e que Peter simplesmente perdeu o nexo de tudo e fez o que fez....

Só que depois de ele matar todos os que se lhe atravessavam no caminho porque em parte enlouqueceu pela forma como era tratado, depois qual vai ser o nosso partido no caso que já referi acima? Qual vai ser a reacção dos pais desses alunos que morreram às mãos de um rapaz ainda adolescente? Ele matou e agora os familiares dos que morreram desejam a morte dele, e é um ciclo... E os pais dele? Filho é filho para sempre, mas como podem os pais defender um filho que matou tantos?
E será possível, numa comunidade pequena onde quase todos se conhecem, ser-se imparcial? Para a juíza do caso vai ser muito complicado...
O advogado de defesa deste caso é o mesmo que encontramos noutros livros de Jodi Picoult, e é muito interessante a forma como nos envolvemos na vida desta personagem e seguimos a sua evolução e a forma como se envolve e leva para tribunal os seus casos de defesa tão difíceis...
É incrível como numa única história, acompanhamos as histórias e vidas de tantas personagens envolvidas...

Todas as histórias que li até agora de Jodi Picoult são assim, cada um tem um motivo para fazer o que faz, mas em tribunal, quem vai ganhar a razão? E se ganhar ou perder o caso, foi justo ou merecido? Será que há justificação para o que leva pessoas a fazerem o que fazem? E mesmo que haja justificação, terão essas pessoas o direito de o fazer? E se o fizeram, haverá perdão? E se não houver perdão possível?....

Uma leitura viciante, onde cada um tira as suas próprias conclusões...

Columbine Mass Murder : Documentary on the Infamous Incident at Columbine High School

4 comentários:

  1. Este foi, para mim, um livro difícil. Sofri tanto pelo Peter. Apesar de o condenar, é como dizes é impossível não empatizar com ele tendo em conta todo o sofrimento pelo qual foi obrigado a passar. É triste, aquilo que se passou com ele e que se passa com tantas e tantas crianças e jovens por este mundo fora. Ele atingiu o limite... E foi pelo pior caminho.

    A forma como o livro terminou foi horrível para mim. Chorei imenso, porque conseguia colocar-me no lugar de toda a gente e isso dificultava a forma como queria que o livro terminasse... Mas o Peter merecia mais... Foi mesmo duro ler os últimos momentos dele no livro.

    Obrigada pela partilha do comentário... Quero ver em breve.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É difícil dizer o que penso sem fazer spoiler, umas um dia podemos debater em privado estas histórias :)
      No entanto concordo totalmente com a tua opinião....

      Eliminar
  2. É mesmo difícil, porque é nos pormenores que está a riqueza das histórias desta autora. :)

    ResponderEliminar

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★


✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑