[Filme - Opinião] Clube dos Poetas Mortos | Dead Poets Society

Quando o carismático John Keating (Robin Williams) é admitido como novo professor de Inglês num colégio particular para rapazes, os seus métodos de ensino pouco convencionais irão revolucinar as tradicionais práticas curriculares.

Há filmes que nos entretêm, outros que nos chocam, outros que metem medo, outros que nos arrancam gargalhadas, outros que nos fazem chorar, outros que nos deixam quase como que apaixonados... existe uma imensa variedade de filmes... sem dúvida...

Depois, existem filmes como este... que nos tocam no coração e acariciam a nossa alma, que nos fazem pensar na vida, na existência, do que é estar vivo, do que vale a pena, da importância de sermos nós próprios e de lutarmos por aquilo em que acreditamos, por aquilo que queremos...

Mostra a importância de sermos especiais, únicos, sermos, pura e simplesmente, nós... a nossa essência... quem somos...

Ultimamente, tenho tido uns dias muito difíceis, a vários níveis.... e há um par de horas atrás, ao ligar a televisão, nestas raríssimas horas que consegui finalmente para mim, na minha box apareceram sugestões de filmes, sendo um deles "O Clube dos Poetas Mortos". Já o vi umas quantas vezes, mas já não o via há um bom par de anos, e sinceramente meti a dar só mesmo para fazer som de fundo enquanto aproveitava estas abençoadas horas livres para colocar aqui o blog em dia, pois não tinha especial vontade de o ver, pois ando tão cansada e desmotivada que nem tenho vontade de nada em especial... No entanto, quando dei por mim estava completamente agarrada ao filme, como se o estivesse a ver pela primeira vez...
"Quero revelar-vos um segredo. Aproximem-se. Não lemos e escrevemos poesia só porque é giro; lemos e escrevemos poesia porque fazemos parte da raça humana. E a raça humana está impregnada de paixão.Medicina, direito, gestão, engenharia são nobres actividades necessárias à vida.Mas a poesia, a beleza, o romance, o amor são as coisas que nos fazem viver."
Há filmes, livros, músicas, poemas, etc, ... que nos tocam na alma, nos sussurraram, falam connosco, chegam ao nosso âmago... E por vezes é precisamente aquilo que estamos a precisar, mesmo sem sabermos....
E mais do que nunca, estava mesmo a precisar de ver este filme... Sinto que me tiraram um ENORME peso de cima, parece que consigo respirar novamente... Já vi este filme algumas vezes, mas hoje, compreendi-o... verdadeiramente... 

Se tivermos sorte e estivermos atentos, volta e meia aparecem-nos estas coisas, seja em forma do for, neste caso foi na forma de um filme, estes tesouros vão surgindo e são eles que nos dão alento quando já estamos mais para lá do que para cá, já no limiar da desistência de tudo, e nem nos damos conta de como nos estamos a deixar ir e a deixar de sermos nós próprios, devido ao facto de que, apenas por sermos nós próprios, sermos diferentes, estarmos constantemente a remar contra a maré, parecer que é uma ofensa geral... Sermos constante e absolutamente forçados a reprimir o nosso ser para nos adaptarmos e nos moldarmos às pessoas ao nosso redor... é sufocante... é um desalento aniquilador...

Se a vida é isso, então, no meio de tudo isto, o que é viver?

Nós, TODOS nós, que no final seremos, de uma forma ou de outra: "...pasto para os vermes....", iremos "adubar flores", portanto, temos de aproveitar o que temos e fazer algo, ser algo! Se não, qual é o propósito?
"Acreditem que as vossas convicções são únicas. Mesmo que outros as achem excêntricas ou que a manada diga: 'Isso é m-a-a-u'. Robert Frost escreveu: 'Numa bifurcação num bosque, eu segui a estrada menos usada. Isso fez toda a diferença'. Quero que encontrem a vossa maneira de andar. Vão para onde quiserem."
Falta encontrar o como fazer isso... arranjarmos a coragem, a vontade, o alento.... mas até nisso este filme é inspirador...

"Estou em cima da secretária para me lembrar que devemos olhar constantemente para as coisas de maneira diferente.... O mundo parece muito diferente visto daqui... Quando pensam que sabem alguma coisa, têm de olhar para ela de forma diferente... Mesmo que pareça tolo ou errado, devem tentar. Quando lêem, não considerem apenas o que o autor pensa. Considerem o que vocês pensam. Esforcem-se por achar a vossa própria voz. Quanto mais esperarem para começar, menos probabilidade têm de a encontrar. Thoreau disse: 'A maioria dos homens vivem vidas de silencioso desespero.' Não se resignem a isso. Libertem-se! Não caminhem à beirinha como lemingues, Olhem em redor. Ousem avançar e encontrar novos pontos de vista."
Foi a primeira vez que voltei a ver este filme com aquele que é o actor preferido de toda a minha vida e para sempre vai ser, o Robin Williams, actor que, mesmo com os seus olhos tristes, conseguia sempre fazer rir... apesar de lá estar uma tristeza constante presente... tal como em mim...

John Keating (Robin Williams) é o professor que todos nós deveríamos de ter tido, pelo menos uma vez na vida... Inspirador, genuíno, que ensina aos alunos a serem livres pensadores, a não se deixarem arrastar pela vida, mas agarrar a vida e vivê-la, ao máximo, magnificamente. Tornar o extraordinário um modo de vida, e abdicar do simples, básico e comum.

Ele tornou-se no professor que ele próprio gostaria de ter tido, mas como não havia, ele criou-se! Tornou-se e fez aquilo em que acreditava. Todos nós nos podemos tornar naquilo em que acreditamos, se tivermos a coragem e a persistência para tal... Lutar pela individualidade e contra a injustiça... 

Temos mesmo de nos tornar naquilo que queremos ser, quem gostamos de ser, porque senão... O que estamos aqui a fazer?

No entanto, apesar de tudo, são as pessoas diferentes e que tentam fazer sempre a diferença, aquelas que mais sofrem, e normalmente acabam por ser os bodes expiatórios, porque os vulgares, os ordinários vão sempre fazer de tudo para arranjarem um, por inveja, por medo, por incompreensão, por pura estupidez, por maldade, .... e será sempre o diferente do grupo, o que se distingue, a sofrer, ....
"It was always thus and always thus will be”

No entanto, mais vale viver uma vida a sermos quem somos e a fazer o que acreditamos, ou viver toda a vida sufocados, camuflados, apenas mais um no rebanho?...

Este é um filme verdadeiramente inspirador, que me falou directamente para a alma... e a minha alma escutou...

“Fui para os bosques viver de livre vontade. Vara sugar todo o tutano da vida, para aniquilar tudo o que não era vida e para, quando morrer, não descobrir que não vivi.” 
Thoreau



Poemas citados no filme:

Apanha os botões de rosa enquanto podes
O tempo voa
E esta flor que hoje sorri
Amanhã estará moribunda

Walt Whitman

--- //---

Ó Capitão! meu Capitão! Finda é a temível jornada,
Vencida cada tormenta, a busca foi laureada.
O porto é ali, os sinos ouvi, exulta o povo inteiro,
Com o olhar na quilha estanque do vaso ousado e austero.
Mas ó coração, coração!
O sangue mancha o navio,
No convés, meu Capitão
Vai caído, morto e frio.

Ó Capitão! meu Capitão! Ergue-te ao dobre dos sinos;
Por ti se agita o pendão e os clarins tocam teus hinos.
Por ti buquês, guirlandas… Multidões as praias lotam,
Teu nome é o que elas clamam; para ti os olhos voltam,
Capitão, querido pai,
Dormes no braço macio…
É meu sonho que ao convés
Vais caído, morto e frio.

Ah! meu Capitão não fala, foi do lábio o sopro expulso,
Meu calor meu pai não sente, já não tem vontade ou pulso.
Da nau ancorada e ilesa, a jornada é concluída.
E lá vem ela em triunfo da viagem antes temida.
Povo, exulta! Sino, dobra!
Mas meu passo é tão sombrio…
No convés meu Capitão
Vai caído, morto e frio.

Walt Whitman

--- //---

Oh eu, oh vida
Das perguntas sempre iguais
Dos interminaveis comboios de descrentes
Das cidades a abarrotar de idiotas
O que há de bom no meio disto?
Estás aqui
A vida existe e a identidade
A pujante peça continua
E podes contribuir com um verso

Walt Whitman


Outras frases inspiradoras que adorei no filme:
“ Independentemente daquilo que te possam dizer, palavras e ideias podem mudar o mundo ”.
" Vivo para ser o rei da vida, não um escravo "
" Avançar para a boca dos canhões, com profunda indiferença "
“ Na vida há tempo para se arriscar e tempo para se ser cauteloso, e um homem sensato sabe qual é a altura certa para cada uma destas coisas.” 

" Carpe diem. Seize the day, boys. Make your lives extraordinary. "
" Carpe diem, rapazes, tornem as vossas vidas extraordinárias! "

TRAILER

Sem comentários:

Enviar um comentário

★ Todos os comentários são muito importantes, são o que dão vida a este blog. Obrigada por comentar e assim fazer parte deste espaço! ★


✉ Para receber a minha resposta, clique ✔ em Notificar-me ☑